Intimismo de Belmiro Borba, ironia de Cyro dos Anjos

Resumo: O diário ficcional O Amanuense Belmiro, de Cyro dos Anjos, foi objeto de significativas homenagens da melhor crítica brasileira, mas não conquistou a merecida notoriedade. De sua publicação (1937) até hoje, a obra vem sendo estudada, o que demonstra tanto a propriedade de se manter atual que só as grandes obras possuem, quanto a abertura para novas questões que surgem, ao ritmo das mudanças de interesse, dentro e fora da academia. Este é também o mais contundente sinal de sua riqueza e complexidade. Neste artigo, propomos abordar o romance-diário por aspectos que não constam de sua fortuna crítica, seja porque os estudos não estão em circulação, seja pela habilidade autoral em camuflar seus recursos. Por uma perspectiva que absorve, mas não se circunscreve às reflexões foucaultianas sobre a escrita de si, discutimos quatro tópicas que determinam o caráter problemático do sujeito estético e do livro intimista que ele produz. São elas: a ascese literária, o processo de mitificação moderna, a ironia e o lirismo. Ainda que não obviamente conectadas, essas quatro tópicas integram uma lógica, que passa ao largo dos impasses sobre a identificação autor/narrador.

Palavras-chave: O Amanuense Belmiro, ascese literária, ironia, mito moderno, lirismo, Cyro dos Anjos

Abstract: Cyro dos Anjos's fictional diary O Amanuense Belmiro was greatly praised by the best Brazilian criticism, but did not reach the deserved recognition. Since its publication (1937) until today, the masterpiece has been studied, which demonstrates property to remain current as well as available to new approaches, in harmony with academic or non-academic standards. This is also the clearest signal of its richness and complexity. In this article, the novel-diary is approached by some aspects which do not appear in its critical fortune, due to the unavailable bibliography, or authorial ability to dissimulate his resources. By a perspective that absorbs, but goes further than Foucault's teachings about self writing, the article discusses four determinant topics concerning the aesthetic subject and the intimate book he produces. These topics are: literary asceticism, modern myth, irony and lyricism. Although such topics are not obviously connected, they integrate a logical whole, which overtakes the impasses about author/narrator identification.

Key words: O Amanuense Belmiro, literary asceticism, irony, modern myth, lyricism, Cyro dos Anjos

Voltar | Back