Nariz metafísico em “O segredo do Bonzo”

Resumo: Neste conto Machado de Assis produz uma crítica de impostores espiritualistas. Eles convencem o povo por meio de sua performance e eloqüência expondo uma idéia absurda que porém suscita espanto, admiração e crença cega. O trabalho pretende analisar como que o conto produz uma crítica ao fundamentalismo religioso e à filosofia metafísica, sem deixar de estar ligado ao pessimismo de Schopenhauer, leitura dileta de Machado. A partir deste ponto, interrogamos a relação entre a experiência estética moderna, que sempre implica na embriaguez da linguagem, e a desmistificação crítica e irônica, para formular a hipótese teórica de um gozo estético próprio da ironia literária.

Palavras-chave: Ironia, embriaguez da linguagem, crítica social, modernidade literária, niilismo.

Voltar | Back